Fazer duas provas no mesmo dia?

Por Rodrigo Motta

Quando um edital é divulgado, é natural a ansiedade daqueles que estudam para concursos públicos. Dependendo do concurso em questão, foram longos meses (ou anos) aguardando a oportunidade de colocar em prática tudo aquilo que foi estudado durante todo o tempo de preparação.

No entanto, nota-se que há uma dificuldade por parte de alguns candidatos na escolha do cargo. A escolha mais fácil, para muitos, é realizar a prova para mais de um. A teoria do “vai que eu passo” fala mais alto e, sem estratégia ou linha definida, o candidato resolve fazer as provas no mesmo dia para mais de um cargo. A pergunta que fica é: realmente é válido fazer mais de uma prova num único dia? Já fui perguntado sobre isso mais de uma vez e minha resposta é sempre a seguinte: DEPENDE. Imaginemos hipoteticamente que a prova para a qual você se preparou de verdade, com estudo aprofundado e amplo, alcançando praticamente todos os tópicos necessários, seja a prova da manhã. Neste caso, fazer a prova da tarde pode ser boa opção, caso a linha de disciplinas seja muito próxima.

Trata-se de mais uma chance. O aproveitamento dos estudos para mais de um cargo, neste caso, pode representar uma boa experiência, ainda que não a título de aprovação. Por outro lado, imaginemos que a prova que represente o seu alvo principal seja a da tarde e, pior, o candidato tenha um desgaste acentuado quando realiza algum concurso. Neste caso, entendo que fazer a prova da manhã (que não é o foco principal) pode extenuar o candidato, somando-se ainda o fato de, dependendo do rendimento e da sua condição emocional, influenciar diretamente na prova a ser realizada no turno posterior. Em palavras simples, se o seu foco é a prova da tarde e você não tem muito gás para duas provas no mesmo dia, chegará no turno da tarde (que é o principal objetivo) cansado e com energia mais baixa.

De forma ainda mais direta: se você cansa muito fazendo uma prova, escolha um dos cargos. De nada adianta querer fazer tudo e não ter bom rendimento em nenhum deles. Não é fácil fazer escolhas, sabemos disso. Contudo, é importante que o candidato estude as opções. O grande escritor e psiquiatra Augusto Cury ensina que “os nossos maiores problemas não estão nos obstáculos do caminho, mas na escolha da direção errada”. No concurso público, uma escolha errada pode representar meses de estudo desperdiçados. Por isso, é importante sempre refletir muito sobre qual caminho seguir.

Vamos juntos! Só largo a sua mão para assinar o termo de posse.

Bons estudos e até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *