TJRJ – Especialista orienta a preparação

Para orientar os futuros candidatos a técnico judiciário do concurso para o TJ-RJ, FOLHA DIRIGIDA entrevistou a diretora pedagógica do Curso Super Professores, Claudete Pessôa, que também é servidora do tribunal, atuando como oficial de justiça.

Para a professora, os interessados na seleção devem focar os estudos no programa anterior, já que, na sua visão, é pouco provável que o programa anterior sofra alterações significativas. No entanto, alerta para inclusões ou exclusões de tópicos. “Acredito, e espero, que não haja muita alteração no conteúdo programático. Claro que é normal, alguma inserção ou exclusão de tópicos, mas o básico deve se manter”, disse.

A professora Claudete Pessôa fez ainda uma análise do perfil de prova do Cebraspe (antigo Cespe/UnB). Segundo ela, em avaliações desse organizador é preciso que o candidato segure a ansiedade, controle o nervosismo e tenha bastante atenção à leitura das questões propostas no exame.

“A peculiaridade Cebraspe é a cobrança de aplicação do instituto jurídico regulamentado. Estudar a lei e aprender a aplicar a normatização a casos hipotéticos é uma excelente metodologia de estudos.

A banca exige uma leitura muito atenta das questões, pois é famosa em trocar palavras e invalidar a questão. O treino de questões ajuda a superar este obstáculo, mas, principalmente, controlar a ansiedade e o nervosismo para que a leitura do item seja adequada”.

Para as pessoas que estão dividindo o tempo de preparação para o concurso do TJ-RJ com outras atividades diárias como, por exemplo, trabalho, faculdade ou cursos, Claudete orienta aproveitar o tempo vago da melhor maneira possível.

“É muito bom estudar 6h ou 8h diárias, mas o melhor é focar na qualidade do estudo. Quem não tem muito tempo para estudar deve ser muito criativo e enxergar todas as oportunidades para fazer revisões: estudar em filas, conduções, lavando louça… Fazer revisões temáticas e gerais, é fundamental para fixação e aprofundamento do aprendizado. Montar um quadro de estudos real, de acordo com a sua rotina, se esforçando para fazer o seu melhor, mas sem perder a sanidade física e mental, pois depois da prova escrita tem a segunda fase do concurso”.

Com o edital próximo de ser divulgado e com a previsão de aplicação das provas para abril ou maio é importante ter uma boa estratégia para chegar pronto no dia do exame. Claudete aponta um caminho para os futuros candidatos estarem prontos no dia da prova: a realização de revisões dos conteúdos para assimilar os conhecimentos estudados.

“Agora é hora de priorizar a doutrina e revisões. Estudar sem fazer revisões é perder tempo. É fundamental fazer revisões temáticas e gerais para a fixação e aprofundamento do aprendizado. Montar um quadro de estudos real, de acordo com a sua rotina, se esforçando para fazer o seu melhor, mas sem perder a sanidade física e mental, pois depois da prova escrita tem a segunda fase do concurso… muitos esquecem disso!”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *