Notícia

TRT RJ

TRT-RJ: carência de 400 servidores reforça necessidade de concurso

TRT RJ
Em reunião com o Sindicato dos Servidores das Justiças Federais no Estado do Rio de Janeiro (Sisejufe), o presidente do Tribunal Regional do Trabalho do Rio (TRT-RJ), desembargador Fernando Antonio Zorzenon, informou que o órgão possui déficit de 400 servidores, e que, por isso, pretende realizar concurso 2017 TRT-RJ para técnicos e analistas judiciários, já que o último perderá a validade em 11 de junho. Os cargos que serão contemplados exigem os níveis médio e superior e têm ganhos de R$7.051,99 e R$11.003,93, respectivamente. 
 
O diretor do Sisejufe e servidor do TRT-RJ Ricardo Quiroga esteve no encontro, na última terça-feira, dia 14. Segundo o sindicalista, o presidente afirmou que o concurso depende da questão orçamentária e da revogação da Recomendação 19 do Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT), que proíbe nomeações nos TRTs, exceto em casos de exonerações e falecimentos que não gerem pensão. Como o CSJT informou que tal medida poderá ser revista no próximo semestre, o concurso do TRT-RJ, muito aguardado pelos concurseiros, deverá acontecer.
 
“O presidente tem o desejo de realizar o concurso, mas ele depende desses detalhes de orçamento. Ele garantiu, porém, que está lutando pela revogação da recomendação do CSJT e por recursos orçamentários para viabilizar o concurso”, afirmou Ricardo Quiroga. O presidente também informou na reunião com sindicalistas que muitas aposentadorias têm acontecido no tribunal, e que a tendência é esse déficit de 400 servidores aumentar nos próximos meses. A reforma da previdência, segundo sindicalistas, deve fazer com que os servidores, em condições de se aposentar, corram para pedir o direito.  
 
Segundo o Sisejufe, a Resolução 63 de 2010 do CSJT, que recomenda a cada vara ter de 12 a 14 servidores para 1.500 processos, não vem sendo cumprida. Por isso, o déficit de 400 servidores, apontado pelo presidente do TRT-RJ. O sindicato defende a abertura do concurso antes do fim da validade da seleção de 2012, independentemente de condição orçamentária, para que o órgão não fique muito tempo sem suprir as vacâncias. “Se esperarmos a revogação da Recomendação 19 para termo um edital divulgado e todo um concurso feito, ficaremos muito tempo esperando as reposições”, assinalou Quiroga.
 
Fonte: Folha Dirigida